en   fr   de   ro   es   it
  
     Username:  Password:  

registerforgot password?

Tuesday, 23 December 2014
Navega por artistas Navega
LAST  Advertisements
LAST  Last Queries

 


Escuchar Lumumba - Fica Sousinho


Letras

Balada Triste (Ira!)

Balada triste
Que me faz
Lembrar alguém
Alguém que existe
E que outrora
Foi meu bem
Balada triste
Melodia do meu drama
Esse alguém já não me ama
Esqueceu você também
Não há mais nada
Foi um sonho
Que passou
Triste balada
Só você me acompanhou
Fica comigo !
Velha amiga, companheira
Quero cantar-te a vida inteira
Prá lembrar o que passou...

Eu Sei Que Te Perdi (Leonardo)

Se um dia eu te fiz
Um pouco feliz
Nem mesmo eu sei
Demorei a entender
E hoje eu posso dizer
Só eu te amei


Quando o sonho acaba
Sufocando a alma
Fica facil se perder
E onde encontrar você?
Sei que ninguem vai
Depois que amanhecer
Sei que ninguem mais
Irá me merecer
Agora
Cansei
De olhar nos olhos de quem naun me ve
Aonde eu errei?


Quando me ve num lugar
Finge nem me notar
Meu Deus porque?
Seu silencio insiste
Em me deixar mais triste
E o que fazer???

Quando o sonho acaba
Sufocando a alma
Fica facil se perder
E onde encontrar você?
Sei que ninguem vai
Depois que amanhecer
Sei que ninguem mais
Irá me merecer
Agora
Cansei
De olhar nos olhos de quem naun me ve
Aonde eu errei heii

Sumiu de alguem que nada fez
Só te amei
Fugiu
Do meu amor amor assim mais uma vez
Sem explicar
Eu sei
Que te perdi

Aonde?

Sei que ninguem vai
Depois que amanhecer
Sei que ninguem mais
Irá me merecer
Agora
Cansei
De olhar nos olhos de quem naun me ve
Aonde eu errei heii

Aonde eu erreiiii??

Aonde eu erreiiii??

Aonde eu erreiiii??

errei hei

Eu Sou 157 (Racionais Mc's)

Racionais MC's
EU SOU 157

Hoje eu sou ladrão, artigo 157,
As cachorra me amam,
Os playboy se derretem,

Hoje eu sou ladrão, artigo 157,
A policia bola um plano,
Sou herói, dos pivete,

Uma par de bico cresce o zóio,
Quando eu chego,
Zé povinho é foda,
How,
É não nego,

Eu to de mau com o mundo,
Terça-feira a tarde,
Já fumei um,
Ligeiro com os covarde,

Eu só confio em mim,
Mais ninguém,
Se me entende,
Fala gíria bem,
Até papagaio aprende,

Vagabundo assalta banco,
Usando Gut Versatti,
Civil dá o bote,
Usando caminhão da Light,

Presente de Grego,
Num é cavalo de Tróia,
Nem tudo que brilha,
Hé,
Relíquia nem Jóia,

Não,
Lembra aquela fita lá oh fala aí Jão,
O bico veio ae,
Mó cara de ladrão,

Como é que é Rapa,
Calor do Caraio,
licença aqui,
Deixa eu fuma,
Passa bola Romário,

Hum,
Meio confiado,
Né, Hé,
Eu percebi,
Pensei,
Ó só,
Que era truta seu,
Ó o milho,

E diz que tinha um canal,
Que vende isso e aquilo,
Quem é,
Quem tem,
M, pra vende,
Quero um Kilo,

Um kilo de que Jhow,
Se conhece quem,
Sei lá,
Sei não,
Hein,
Eu sou novo também,

Irmão,
Quando ele falo,
Um kilo,
É o deixo,
É o milho,
A micha caiu,

Mais onde é que ja se viu,
Assim,
Ta de piolhagem,
Não vai, daqui ali,
Mó chavão,
Nesse trajes,
De óculos escuros,
Bermuda e chinelo,
O negão era policia,
Irmão,
Mó Castelo,

Hoje eu sou ladrão, artigo 157,
As cachorra me amam,
Os playboy se derretem,

Hoje eu sou ladrão, artigo 157,
A policia bola um plano,
Sou herói, dos pivete,
(***bis***)

Nego,
São Paulo é selva,
E eu conheço a fauna,
Muita calma ladrão,
Muita calma,
Eu vejo os ganso desce,
E as cachorra subir,

Os dois peida,
Pra vê,
Quem guia o GTI,
Mais também né João,
Sem fingi,
Sem dá pano,

É Boca de Favela,
Hô,
Vamo e convenhamo,
Tiazinha,
Trabaia 30 ano,
E anda a pé,

As vez,
Cagueta de Revolta né,
Que,
Né nada disso não,
Se tá nessa,

Revolta com o Governo,
Não comigo,
As conversa,
Traidor, Cobra-Cega,
Penso se a moda pega,

Nego,
Eles te entrega,
Pô Depatri,
Ae sujo,
De bolinho,
Complô,
Pode até, ser que tem,
Sei lá,

Qualquer lugar,
Vários tem celular,
Não dá, pra acreditar,
Que aconteça,
Na hora do choque,
Que um de nós,
Troque uma cabeça,

Por incrível que pareça,
Pode ser,
Ó, meu,
O dia de amanhã,
Quem sabe é Deus,

Eu não sei,
Não vi,
Não sou,
Morro cadeado,

Firmão,
Deixa eu ir,
Quem não é visto,
Não é lembrado,

Hoje eu sou ladrão, artigo 157,
As cachorra me amam,
Os playboy se derretem,

Hoje eu sou ladrão, artigo 157,
A policia bola um plano,
Sou herói, dos pivete,
(bis)

Família,
Em primeiro lugar,
É o que há,
Juro pra senhora mãe,
Que eu vou parar,

Meu amor é só seu,
Brilhante num cofre,
Enquanto eu viver,
A senhora nunca mais sofre,

Tá daquele jeito,
Se é,
É agora,
É calça de veludo,
É bunda de fora,

Me perdoe,
Me perdoe mãe,
Se eu não tenho mais o olhar,
Que um dia foi,
Te agradar,
Com cartaz,
Escrito assim,

12 de maio,
Em marrom,
Um coração azul e branco,
Em papel crepom,
Seu mundo era bom,

Pena que hoje em dia,
Só encontro,
No seu álbum de fotografia,
Eu juro que vou te prova,
Que não foi em Vão,
Mais cumprir ordem
de bacana,
Não dá mais não,


Xii, João,
Falando sozinho,
Essa era da boa,
Pôe dessa pra mim,
O barato tá doido,
E o mano te ligo ali,
Mais tem que ser já,
Sem pensa,
Se quer ir,

A ponta é daqui a pouco,
8 hora, 8 e pouco,
Tá tudo no papel,
Dá pra arrumar uns troco,
O time tava montado,
Mais tem,
O que não pode os mano,
É doutro lado,

Mais é,
É pela ordem,
Vamo tá mó mamão,
Só Catá,
Demoro,

Ó só,
Ti puis na fita,
quer ser merecedor,
Na vou te por
Em fita podre,
Aliado,
A cena é essa,
Fica ligado,

Um mão branca,
Fica só de migué,
No bar em frente,
O dia inteiro, tomando café,
É nosso,
O outro é Japonês,
O Kazu,
Que fica ali,
Vendendo um Dog,
Talão Zona Azul,

Se compra o dog dele,
E fica ali no bolinho,
Ele tem,
Só um canela seca no carrinho,
Se liga a loira né,

Então,
Vai ta lá dentro,
De onda com os guardinha,
Pam,
É nessa ae que eu entro,

É 2 tem mais um,
Foi quem deu,
Tá ligeiro,
Na hora,
Ele vai tá de H no banheiro,

Tem uma XT na porta,
E uma SAHARA,
Pega a contra-mão,
Vira a esquerda e não para,
A cara,
É direto e reto,
Na mesma,
Até a praça,
Que tá tudo em obra,
E os carro não passa,

Do outro lado tá a Rose,
De GOLF,
Na espera,
Das as arma e os malote pra ela,
E já era,

Depois só,
Praia e maconha,
Come todas burguesa,
Em Fernão de Noronha,

Nossa mano,
Pega aqueles gadinho lá,
Que mora no condomínio,

Vixi,
Hi aquelas mina lá,
Só gata feio,
Se elas até gosta de fuma,um baseado,
Vo leva elas toda,

O dia D chego,
Se esse é o lugar,
Então aqui estou,
Quanto mais frio,
Mais em Prol,
Uma amante do dinheiro,
Pontual como o Sol,

Igual eu,
De roupão e capacete,
No frio já é quente,
Ainda usando colete,
Já era estou aqui,

E aonde se tá João,
Não to vendo ninguém,
E o japonês, não tá aqui não,
o carrinho não tá aí né daqui eu ganhei
o outro mano não colou
também,
Desde quando eu cheguei,

Mais por que logo hoje,
Por que mudaro,
É dificil é raro
uns que deu a fita errada,
Sei não,
Tá esquisito João,
Tá sinistro,

Não é melhor nóis se joga,
Vê direito,
E qualquer coisa,
A loira vai liga,
Num tem pressa,
Se é como meu irmão,
Caraio,
Porra,
Num dá essa,

Só tem o Zé Povinho,
E os motoboy,
Tá gelado,
Vamo entra,
Vagabundo é nóis,

Nossa Senhora,
Neguinho passo a mil,
Eu falei,
Nem ouviu,
Nem olho,
Nem me viu,

Minha cara é esperar,
Eu não tiro o zóio,
Lá dentro eu não sei,
Meu estômago dói,

Lá vem o truta,
Vamo,
É agora,
Tudo errado,
Vamo embora,
Caiu a fita,
Sujo,

Cadê o neguinho,
Demoro, Caraio,
Bem que eu falei,
Todos fuça mudo,
Só tinha 2, mais tem 3,

O neguinho vinha vindo,
Do que vinha rindo,
O pesadelo do Sistema,
É não ter medo da morte,

Dobro o joelho,
E caiu como um homem,
Na giratória, abraçado com o malote,
Eu falei Porra,
Não te falei,
E, H,
Pra mãe dele,
Quem que vai fala,
Quando nóis chega,

Um filho pra cria,
Imagina a noticia,
Lamentável,
Vamo ae,
Vai chove de policia,

A vida é sofrida,
Mais não vou chorar,
Vive de que,
Eu vou me humilha,
É tudo uma questão,
De conhecer o lugar,
Quanto tem,
Quanto vem,
E a minha parte quanto dá,
PORQUE,

Hoje eu sou ladrão, artigo 157,
As cachorra me amam,
Os playboy se derretem,

Hoje eu sou ladrão, artigo 157,
A policia bola um plano,
Sou heóroi, dos pivete,
(bis)

Sentimental (Los Hermanos)

- O quanto eu te falei que isso vai mudar. Motivo eu nunca dei.
- Você me avisar, me ensinar, falar do que foi pra você, não vai me livrar de viver ! Quem é mais sentimental que eu?!!...
- Eu disse e nem assim se pôde evitar. De tanto eu te falar você subverteu o que era um sentimento e assim fez dele razão... pra se perder no abismo que é pensar e sentir.

- Ela é mais sentimental que eu !!
- Então fica bem ...
- ... se eu sofro um pouco mais.

"Se ela te fala assim, com tantos rodeios, é pra te seduzir e te ver buscando o sentido daquilo que você ouviria displicentemente. Se ela te fosse direta, você a rejeitaria." - Eu só aceito a condição de ter você só pra mim.
- Eu sei, não é assim, mas deixa eu fingir... e rir.

Homem Na Estrada (Racionais Mc's)

Um homem na estrada recomeça sua vida.
Sua finalidade: a sua liberdade.
Que foi perdida, subtraída;
e quer provar a si mesmo que realmente mudou, que se recuperou e quer viver em paz, não olhar
para trás, dizer ao crime: nunca mais!
Pois sua infância não foi um mar de rosas, não.
Na Febem, lembranças dolorosas, então. Sim, ganhar dinheiro,ficar rico, enfim.
Muitos morreram sim, sonhando alto assim, me digam quem é feliz,quem não se desespera, vendo
nascer seu filho no berço da miséria.
Um lugar onde só tinham como atração, o bar, e o candomblé pra se tomar a benção.
Esse é o palco da história que por mim será contada.
...um homem na estrada.

Equilibrado num barranco incômodo, mal acabado e sujo, porém, seu único lar, seu bem e seu
refúgio.
Um cheiro horrível de esgoto no quintal, por cima ou por baixo,se chover será fatal.
Um pedaço do inferno, aqui é onde eu estou.
Até o IBGE passou aqui e nunca mais voltou. Numerou os barracos,fez uma pá de perguntas.
Logo depois esqueceram, filhos da puta!
Acharam uma mina morta e estuprada, deviam estar com muita raiva.
"Mano, quanta paulada!".
Estava irreconhecível, o rosto desfigurado.
Deu meia noite e o corpo ainda estava lá, coberto com lençol,ressecado pelo sol, jogado.
O IML estava só dez horas atrasado.
Sim, ganhar dinheiro, ficar rico, enfim, quero que meu filho nem se lembre daqui, tenha uma vida
segura.
Não quero que ele cresça com um "oitão" na cintura e uma "PT" na cabeça.
E o resto da madrugada sem dormir, ele pensa
o que fazer para sair dessa situação.
Desempregado então.
Com má reputação.
Viveu na detenção.
Ninguém confia não.
...e a vida desse homem para sempre foi danificada.
Um homem na estrada...
Um homem na estrada..

Amanhece mais um dia e tudo é exatamente igual.
Calor insuportável, 28 graus.
Faltou água, ja é rotina, monotonia, não tem prazo pra voltar,hã! já fazem cinco dias.
São dez horas, a rua está agitada, uma ambulância foi chamada comextrema urgência.
Loucura, violência exagerada. Estourou a própria mãe, estava embriagado.
Mas bem antes da ressaca ele foi julgado.
Arrastado pela rua o pobre do elemento, o inevitável linchamento, imaginem só!
Ele ficou bem feio, não tiveram dó.
Os ricos fazem campanha contra as drogas e falam sobre o poderdestrutivo delas.
Por outro lado promovem e ganham muito dinheiro com o álcool queé vendido na favela.

Empapuçado ele sai, vai dar um rolê.
Não acredita no que vê, não daquela maneira,
crianças, gatos, cachorros disputam palmo a palmo seu café damanhã na lateral da feira,
Molecada sem futuro, eu já consigo ver, só vão na escola pracomer,
Apenas nada mais, como é que vão aprender sem incentivo dealguém, sem orgulho e sem respeito,
sem saúde e sem paz.
Um mano meu tava ganhando um dinheiro,
tinha comprado um carro,
até rolex tinha!
Foi fuzilado a queima roupa no colégio, abastecendo a playboyzadade farinha,
Ficou famoso, virou notícia, rendeu dinheiro aos jornais, hu!,cartaz à policia
Vinte anos de idade, alcançou os primeiros lugares... superstardo notícias po**res!
Uma semana depois chegou o crack, gente rica por trás, diretoria.
Aqui, periferia, miséria de sobra.
Um salário por dia garante a mão-de-obra.
A clientela tem grana e compra bem, tudo em casa, costa quente desócio.
A playboyzada muito louca até os ossos!
Vvender droga por aqui, grande negócio.
Sim, ganhar dinheiro ficar rico enfim,
Quero um futuro melhor, não quero morrer assim,
num necrotério qualquer, como indigente, sem nome e sem nada,
o homem na estrada.

Assaltos na redondeza levantaram suspeitas,
logo acusaram a favela para variar,
E o boato que corre é que esse homem está, com o seu nome lá nalista dos suspeitos,
pregada na parede do bar.

A noite chega e o clima estranho no ar,
e ele sem desconfiar de nada, vai dormir tranquilamente,
mas na calada caguentaram seus antecedentes,
como se fosse uma doença incurável, no seu braço a tatuagem, DVC,uma passagem , 157 na lei...
No seu lado não tem mais ninguém.

A Justiça Criminal é implacável.
Tiram sua liberdade, família e moral.
Mesmo longe do sistema carcerário, te chamarão para sempre de expresidiário.
Não confio na polícia, raça do caralho.
Se eles me acham baleado na calçada, chutam minha cara e cospemem mim é..
eu sangraria até a morte...
Já era, um abraço!.
Por isso a minha segurança eu mesmo faço.

É madrugada, parece estar tudo normal.
Mas esse homem desperta, pressentindo o mal, muito cachorro latindo.
Ele acorda ouvindo barulho de carro e passos no quintal.
A vizinhança está calada e insegura, premeditando o final que já conhecem bem.
Na madrugada da favela não existem leis, talvez a lei do silêncio, a lei do cão talvez.
Vão invadir o seu barraco, é a polícia!
Vieram pra arregaçar, cheios de ódio e malícia, filhos da puta,comedores de carniça!
Já deram minha sentença e eu nem tava na "treta", não são poucos e já vieram muito loucos.
Matar na crocodilagem, não vão perder viagem, quinze caras lá fora, diversos calibres, e eu apenas
com uma "treze tiros" automática.
Sou eu mesmo e eu, meu deus e o meu orixá.
No primeiro barulho, eu vou atirar.
Se eles me pegam, meu filho fica sem ninguém, e o que elesquerem: mais um "pretinho" na febem.
Sim, ganhar dinheiro ficar rico enfim, a gente sonha a vida inteira e só acorda no fim, minha verdade
foi outra, não dá mais tempo pra nada... bang! bang! bang!

Homem mulato aparentando entre vinte e cinco e trinta anos é encontrado morto na estrada do
M'Boi Mirim sem número.
Tudo indica ter sido acerto de contas entre quadrilhas rivais.
Segundo a polícia, a vitíma tinha vasta ficha criminal."

O Meu Amor (Chico Buarque)

Teresinha: O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
E que me deixa louca
Quando me beija a boca
A minha pele toda fica arrepiada
E me beija com calma e fundo
Até minh'alma se sentir beijada, ai
Lúcia: O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
Que rouba os meus sentidos
Viola os meus ouvidos
Com tantos segredos lindos e indecentes
Depois brinca comigo
Ri do meu umbigo
E me crava os dentes, ai
As duas: Eu sou sua menina, viu?
E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha
Do bem que ele me faz
Lúcia: O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
De me deixar maluca
Quando me roça a nuca
E quase me machuca com a barba malfeita
E de pousar as coxas entre as minhas coxas
Quando ele se deita, ai
Teresinha: O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
De me fazer rodeios
De me beijar os seios
Me beijar o ventre
E me deixar em brasa
Desfruta do meu corpo
Como se o meu corpo fosse a sua casa, ai
A duas: Eu sou sua menina, viu?
E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha
Do bem que ele me faz

Reza Vela (O Rappa)

Larara....

A chama da vela de reza
direto com santo conversa
ele te ajuda te escuta
num canto coladas no chão as sombras mexem

pedidos e preces viram cera quente
pedidos e preces viram cera quente

a fé no sufoco da vela abençoada no dia dormido
o fogo já não existe eles saíram do abrigo
são quase nada

a molecada corre e corre e ninguém tá triste
a molecada corre e ninguém tá

se tudo move se o predio é santo
se é pobre mais pobre fica
vira bucha de balão ao som de funk
e apertada tua avenida

a cera foi tarrada
não se admire

se tudo move se o predio é santo
se é pobre mais pobre fica
vira bucha de balão ao som de funk
e apertada tua avenida

a cera foi tarrada
não se admire

ta no céu não espere o tiro apenas mire

a cera foi tarrada
não se admire

ta no céu balão de bucha não espere o tiro apenas mire

depois da bença o peito amassado
é hora do cerol é hora do traçado
quem não cobre fica no samba atravessado
sobe balão no samba céu rezado

Mano Na Porta Do Bar (Racionais Mc's)

Você viu aquele mano na porta do bar
Jogando um bilhar descontraído e pá
Cercado de uma pá de camaradas
Da área uma das pessoas mais consideradas
Ele não deixa brecha, não fode ninguém
Adianta vários lados sem olhar quem
Tem poucos bens, mais que nada,
Um fusca 73 e uma mina apaixonada
Ele é feliz e tem o que sempre quis
Uma vida humilde porém sossegada
Um bom filho, um bom irmão,
Um cidadão comum com um pouco de ambição
Tem seus defeitos, mas sabe relacionar
Você viu aquele mano na porta do bar
(aquele mano)
Você viu aquele mano na porta do bar
Ultimamente andei ouvindo ele reclamar
Da sua falta de dinheiro era problema
Que a sua vida pacata já não vale a pena
Queria ter um carro confortável
Queria ser uma cara mais notado
Tudo bem até aí nada posso dizer
Um cara de destaque também quero ser
Ele disse que a amizade é pouca
Disse mais, que seu amigo é dinheiro no bolso
Particularmente para mim não tem problema nenhum
Por mim cada um, cada um
A lei da selva consumir é necessário
Compre mais, compre mais
Supere o seu adversário,
O seu status depende da tragédia de alguém,
É isso, capitalismo selvagem
Ele quer ter mais dinheiro, o quanto puder
Qual que é desse mano ?
Sei lá qual que é
Sou Mano Brown, a testemunha ocular
Você viu aquele mano na porta do bar
(Aquele mano)
- " Quem é aqueles mano que tava andando com você ontem a noite ?"
- " É uns mano diferente aí que tá rolando de outra quebrada aí,mas é
o seguinte, eu tô agarrando os mano de qualquer jeito, certo ? "
- " Nós somo aqui da área mano !? "
- " Não tem nada a ver com você !!! "
- " Já era meu irmão ! já era !!! "
- " Qual que é ? Num tô te entendendo, explica isso aí direito..."
- " Movimento é dinheiro meu irmão... "
- " Você nunca me deu nada !!! "
Você viu aquele mano na porta do bar
Ele mudou demais de uns tempos para cá
Cercado de uma pá de tipo estranho
Que promete pra ele o mundo dos sonhos
Ele está diferente não é mais como antes
Agora anda armado a todo instante
Não precisa mais dos aliados
Negociantes influentes estão ao seu lado
Sua mina apaixonada, linda e solitária
Perdeu a posição agora ele tem várias...
Várias mulheres, vários clientes, vários artigos,
Vários dólares e vários inimigos.
No mercado da droga o mais falado
O mais foda, em menos de um ano subiu de cotação
Ascenção meteórica, contagem numérica,
Farinha impura, o ponto que mais fatura
Um traficante de estilo, bem peculiar
Você viu aquele mano na porta do bar
(Aquele mano)
Ele matou um feinho a sangue frio
As sete horas da noite,
Uma pá de gente viu e ouviu, a distância
Dia de cobrança, a casa estava cheia
Mãe, mulher e criança
Quando gritaram o seu nome no portão
Não tinha grana pra pagar perdão é coisa rara
Tomou dois tiros no meio da cara
A lei da selva é assim, predatória
Click, cleck, BUM, preserve a sua glória
Tranformação radical, estilo de vida
Ontem sossegado e tal
Hoje um homicída
Ele diz que se garante e não tá nem aí
Usou e viciou a molecada daqui
Eles estão na dependência doentia
Não dormem a noite, roubam a noite
Pra cheirar de dia
O tal do vírus dos negócios muita perícia
Ele da baixa, ele ameaça, truta da polícia
Não tem pra ninguém no momento é o que há
Você viu aquele mano na porta do bar
(Aquele mano)
" - E aí mano, e aquela fita de ontem a noite ? "
" - Foi um mano e tal que me devia, mó pilantra safado, queria medá
perdido... - Negócio é negócio, deve pra mim é a mesma coisa que
dever pro capeta, dei dois tiro na cara dele, já era... virou osolhos. "
" - Mas e agora, como é que fica !? "
" - Ih...Sai fora !!! Sai, Sai !!!
Você tá vendo o movimento na porta do bar
Tem muita gente indo pra lá, o que será ?
Daqui apenas posso ver uma fita amarela
Luzes vermelhas e azuis piscando em volta dela
Informações desencontradas gente, indo e vindo
Não tô entendedo nada, vários rostos sorrindo
Ouço um moleque dizer, mais um cuzão da lista
Dois fulanos numa moto, única pista
Eu vejo manchas no chão, eu vejo um homem ali
É natural pra mim, infelizmente
A lei da selva é traiçoeira, surpresa
Hoje você é o predador, amanhã é a presa
Já posso imaginar, vou confirmar
Me aproximei da multidão e obtive a resposta
Você viu aquele mano na porta do bar
Ontem a casa caiu com uma rajada nas costas...

Profissao MC (Marcelo D2)

Aí o que você quer ser quando crescer??
e se você crescer fica ligado no que cê pode fazer
viajar o mundo todo rimando à vera
e um caderno de anotações porque senão ja éra
eu trago oito toneladas de samba e malandragem
eu trago oito toneladas de rap na humildade
pra falar no microfone tem que ter disposição
16 toneladas eu carrego numa mão
os que trabalham e trabalham com orgulho ponham suas maõas para o ar
os que tão de canto os que tão a fim de fazer barulho ponham suas mãos paro o ar

Quem representa a rua no mic?? quem é
um dos elementos que mantem a cultura de pé
capacidade de pôr a moral do povo pro alto
na TV no rádio ou ao vivo no palco
é sinistro cumpadi é sinistro
percussão de samba mpc e vários discos
concentração pra levada correr em cima disso
é como um vício não pára rap é o compromisso
exemplo: o dj tem o sample
e eu tenho o poder dos versos que resistem ao tempo
qualquer parada é so falar porque eu to sempre por aqui
muito prazer me apresento profissão: M.C
trago bagulho numa mão e na outra a breja
é dois palito e o bicho ta pegando
não tem kaô o bicho ta pegando
então se prepara que o bicho ta pegando

Amando por uns odiado por outros
disposição é a parada profissão pra poucos
porque o mestre de cerimônia usa a causa e o efeito
a perfeição é passo a passo e eu faço desse jeito
separo o milho do joio o que presta do que não presta
e to sempre preparado pra fazer a festa
rimando na frente atrás esquerda direita
um mc a procura da batida perfeita
os que tem dinheiro no bolso ou os que não tem nem um puto
ponham suas mãos para o ar!
os soldados da rua e os amantes do barulho
ponham suas mãos para o ar!

Pierpaolo_n°3 (Squallor)

- Dammi un gettone, Burbo.
- Zì.
- Devo chiamare l'Italia.
- Zì buana.
- Sono rimasto a costo di quattrini.
- Mu pazz manc' p'o cazz.
- Pronto? Pronto?
- Sì…
- Parlo con casa Baratti-Borini-Borotti-Boffa?
- Sì… E' il signorino?
- C'è il mio papà, per piacere?
- Sì…
- Sì, sono Pierpaolo, vorrei parlare con quel cornutone di mio padre.
- Glielo chiamo subito.
- Grazie. Chi sei tu, Formentina?
- Sì, mi riconosci, Pierpaolo?
- Ancora lì stai?
- Sì.
- Ma non dovevi morire due tre anni fa, di cancro?
- La Madonna di Lourdes.
- Ah, ti sei fatta una cura, bene. Levati da mezzo, passami papi, che sono in teleselezione nun teng' manc' na lira.
- Strano…
- Ciao, sei tu?
- Pronto, Pierpaolo?
- Bene, bene… Tu ti ricordi due ellepì fa che t'ho chiamato?
- A me lo dici, mi ricordo eccome… Dimmi tutto.
- Allora, ero già a corto di quattrini…
- E quando mai no…
- … no, praticamente non ho una lira.
- E cosa vuoi fare, Pierpaolo.
- Ho dovuto spacciare…
- Cosa?
- …la noce di cocco…
- Ah.
- …per arramazzare qualche lira.
- Hai fatto qualcosa?
- Adesso sono arrivato al fondo.
- Ahia.
- Sì, la tata è arrivata.
- Bene, bene.
- L'ho messa a battere, ma non piglia una lira, perché è mostruosa.
- Come mai? Come mai?
- Quella quando aveva sedici anni era carina, adesso vuoi perché ha il dente cariato, vuoi perché si è un po' sviluppata di seno, vuoi perché c'ha la chiappa un po' addovà…
- Eh eh eh eh…
- …vuoi una ventimila lire…
- Sì…
- …insomma, qua nelle Antille non se la chiava nessuno, neanche Peter Tosh.
- E' uno scandalo, Pierpaolo, cosa ti è successo…
- Eh, lo so, Papi, hai ragione, ma questa è veramente una mmerda.
- Sono d'accordo con te.
- E prendetela una tata nuova, datela in permuta…
- A chi?
- …e fatemi arrivare una grandissima fica che qui non ce n'è una a pagare un milione di dollari.
- Ma altre donne non ne hai conosciute?
- A proposito di dollari, quando me li mandi quelli che hai preso all'Italgas?
- …Ma… ma… ma… Pierpaolo, mi vuoi rovinare, stai zitto…
- Ah…
- Sei pazzo?
- Devo fare un numero privato svizzero.
- Sì, quello che sai, no…
- Quelli con i buchi…
- Sì…
- …che è, un formaggio?
- Ma no, figurati, è l'Italcalc…
- Volevo dire che mi sono fidanzato…
- Sì?
- No no no no no no no…
- Con un'altolocata?
- Ti volevo dire che mi sono fidanzato…
- Sì? Con chi?
- …con una ragazza molto carina…
- Un'altolocata di Milano?
- La sorella di Tony D.
- …Madonna mia.
- Sì sì sì sì sì…
- Chi è, quello che cantava?
- Quello che cantava…
- Madonna…
- Ah-ah, ah-ah, only ùùùù, chiappat' o cazz' d'Andalù.
- Pierpaolo, come sei sboccato…
- Oh, per tornare nell'argomento…
- Sì?
- …questa ragazza mi fa morire. C'ha quattordici anni…
- Buono…
- …capelli biondi…
- Buono…
- …monoseno…
- Eh, quest'è strano…
- …che mi fa arrapare quando si spoglia perché c'ha una zizza da sola…
- Sola? Mi preoccupa.
- …e io me la quartéo. Po po po, po po po, ta ta ta, ta ta ta, sì, mi piace.
- Perché? Perché?
- Ah, io sono un perverso. E tu?
- Io sì, pure, ma… eh… tempi passati, ormai…
- Io mi ricordo tutto, quando ero più piccolino.
- Cosa ti ricordi, Pierpaolo?
- Sentivo dalla stanza…
- Dove? Dove?
- …che tu dicevi alla mamma: Mettiti la vestaglia così…
- Non mi fare arrossire…
- …metti un po' la gamba da fuori…
- Non mi fare arrossire, Pierpaolo…
- …fai finta che sei Sofia Loren…
- …ma quella faceva schifo…
- … fai finta che sei Gina Lollobrigida… Quella era uguale a Tina Pica, mammà. Che cosa doveva fare, l'attrice?…
- Ma cercavo…
- …Quella non poteva fare manco il saltimbanco.
- Cercava di arraparmi…
- Beh, passiamoci su.
- Va bene. Cosa fai di bello adesso?
- Senti come suona questo qui, l'ho comprato io.
- Che… come si chiama?
- Si chiama Hemond. Sì.
- Buono…
- Sì, fa l'organista.
- E nient'altro?
- Ogni tanto si vende. Sì.
- Sì?
- Alle Messaggerie Musicali…
- Dove poi?
- Da Curci…
- E poi?
- da Ricordi…
- Ancora?
- E anche volendo si può trovare a poco prezzo…
- Dove?
(voce sul canale sinistro: Sì, sì, mi son fermato perché m'è caduta la penna…)
- Sì… Sì, è caduta la penna ma a me me pass' manc' p'o cazz'…
- Dove? A chi? Pierpaolo?
- Io sto parlando, gli è caduta la penna… la penna è irrisoria…
- Sì, va bè…
- …quella si può comprare… va bè, ti saluto. Ciao.
- Ciao…
- Ciao, Pallà, cià… Ammucchet' a uallera 'e Alì Babà.
- Come sei scor…
- Po po po, po po po, i' sto qua e tu stai là, i' mi diverto come nu' pazzo, ciao, passa al padre.
- Ma questo non è un bambino, questo è una tigre, questo è…
- Passa al padre…
- …Mompracem… chi è questo…
- TORNA ARET'!…
- Sì.
- TORNA DIETRO!…
- Ho capito, Pierpaolo…
- …pronto, Pierpaolo.
- Sì. Ma questo non è un bambino, questo io lo affogo, questo m'ha rutt' o cazzo, o' guaglione… Maria? Chiama i pompieri di Viggiù, fai qualcosa, questo e… mi ha… mi ha… mi ha intorpidito. Ci vediamo tra un altro ellepì, forse, non lo so, buongiorno, buongiorno.


Video


Muy lindo tema de lumumba que nunca nadie subio no entiendo como noe staba esto en youtube disfruten raggamufin de verdad esto ai aca.




Mp3, Musica, Descarga, Letras, Canciones, Conciertos, Boletos, Live, Video, DVD, Gratis, Discografia, Mpeg, Compra, Grupo, Artista, Album, Coleccion, Archivo, Eventos, Busca, CD